quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Megafinance


Silvia Ramos
Presidente da distrital de Beja do CDS

Silvia Ramos (com ligações à "Megafinance") é apontada como responsável pela falência de uma das maiores empresas de panificação alentejanas, empresa que Paulo Portas visitou em campanha como sendo uma empresa modelo.
Lá se foi o modelo devido à presidenta e à Megafinance.

Dizia Silvia Ramos em campanha: "O CDS Beja levou dois anos em constante mobilidade pelo distrito, dois anos de trabalho no terreno em varias áreas. Chegados à campanha eleitoral já tínhamos o resultado preparado assim sendo esta foi contida inclusive por respeito á situação económica do pais e porque não nos lembramos das nossas gentes somente na véspera dos votos.
Este é o Momento…de se correr atrás de lugares…uma coisa eu informo o CDS Beja irá estar nos devidos lugares proporcionalmente ao nosso peso político e porque temos isso legitimado pelos votos que obtivemos…mas o CDS é um partido que permeia pelo esforço e pelo mérito, onde existir alguém com mérito e trabalho feito…fica…independentemente da sua cor política…quem trabalha e deu o seu melhor tem a nossa confiança para continuar… não queremos o poder queremos o melhor para Portugal e para o distrito.
E porque este é o Momento…o CDS Beja irá representar o distrito para que lhe sejam reconhecidas as potencialidades, as necessidades e que já mais seja esquecido no mapa."

Esta sinhora vendia a casa da Rafa em 3 tempos, alguém duvida?

APENSO:
O número três do partido de Portas à Câmara de Moura foi apanhado pela GNR. Estaria a desviar palha de uma herdade
Um candidato do CDS-PP à Câmara Municipal de Moura, de seu nome Pedro dos Reis, foi detido sexta-feira pela GNR por, alegadamente, estar a furtar palha numa herdade localizada na periferia da cidade alentejana, avançou ao DN fonte da Guarda, acrescentando que o homem, de 63 anos, foi interrogado e constituído arguido, ficando a aguardar em liberdade o desenrolar do processo.

A cabeça de lista e presidente da distrital de Beja do CDS, Sílvia Ramos, confirma o envolvimento do seu "número 3" no caso, mas diz que isso não a fará alterar a composição da lista.
"A minha decisão é simples. Somos democratas-cristãos e está explícito na Bíblia que quem nunca pecou que atire a primeira pedra. Não é por meia dúzia de fardos velhos que vamos tirar a pessoa da lista, neste momento. Cabe à Justiça e a Deus julgarem o acto", diz a líder centrista em Beja.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. É mesmo da Sílvia
    já agora procurem na Universidade de Évora
    ENG.?

    ResponderEliminar